Uns e outros

Alguns, na hora em que erram, pensam: "Me equivoquei... Qual será a lição que tenho para aprender?". Já outros pensam: "Não foi minha culpa", passando a responsabilidade para outros.
 
Alguns pensam que a adversidade é a melhor forma de aprender, outros, nesse mesmo momento, se sentem vítimas da vida.
 
Alguns pensam que os resultados das coisas dependem de si próprios. Outros, quando as coisas não acontecem como querem, acreditam que tiveram má sorte.
 
Alguns têm muito a fazer, mas ordenam prioridades; outros estão sempre "muito ocupados".
 
Alguns sabem que os desafios são vencidos passo a passo. Outros se confundem e não sabem por onde começar.
 
Alguns se comprometem com a sua palavra e a respeitam. Outros, quando prometem e são cobrados, só o que fazem é justificar-se.
 
Alguns escutam, compreendem do que se trata e respondem. Outros só esperam um momento para falar. Alguns pensam: há uma forma melhor de fazer isto. Outros dizem: "esta é a forma que sempre fizemos, não há outra".
 
Alguns, quando estão com pessoas que conseguiram chegar mais longe na vida, se preocupam em perguntar e aprender algo novo. Outros só buscam defeitos.
 
Alguns sabem que seu trabalho termina quando a tarefa terminou. Outros, na hora marcada da saída.
 
Às vezes, a única diferença está no jeito como olhamos as coisas.
 
Imagina quanto poder interno é gerado quando aprendemos a mudar o olhar; e conseguimos assim escolher um olhar que nos deixe bem.
 
Quantas pessoas estão tristes, deprimidas... se soubessem que só depende delas.
 
Nem todos estão prontos para se fazer responsáveis por suas vidas, parece muito mais fácil ter algo ou alguém a quem responsabilizar.
 
Quantas vezes observamos as características que compartilhamos entre todos os seres humanos nos sentirmos encurralados em nossas emoções, sem perceber que as mesmas são um presente maravilhoso que temos, e que a cada momento podemos atrai-las para nossas vidas.
 
A partir do nosso olhar, percebemos dois tipos de emoções: as positivas e as negativas. Se quisermos saber sob que emoções estamos transitando, só temos que conseguir olhar para nós mesmos e ver como nos sentimos.
 
De que depende? Embora não consigamos acreditar às vezes, só depende da nossa capacidade de focar. De acreditamos que somos donos do olhar que emprestamos às coisas, que escolher nossos pensamentos pode nos dar muito poder, e que transitar pelas emoções positivas nos encherá de felicidade.
 
A decisão só depende de nós: sermos felizes.