O que vou fazer agora?

“Certo dia uma pessoa que pouco acreditava em Deus andando pelo caminho, tropeçou com uma pedra e caiu num precipício”.

Ao cair se seguro numa rama e pensou: só  Deus pode me salvar agora, mas eu nunca acreditei muito nele. O que vou fazer agora?.

Então exclamou: por favor Deus, eu nunca acreditei muito em ti, se tu me salvas te prometeu que começarei a ser um fiel devoto teu.

A estas suplicas não teve retorno. Assim sendo voltou a repetir seu pedido. De repente uma voz dentre as nuvens: Tu nunca acreditaras em mi! Conheço teu tipo!

Por favor Deus! Estas enganado! De verdade vou acreditar em Ti! Implorava o homem

Não tu não o farás! E só para te salvar! É o que todos dizem na hora do aperto!  Respondeu Deus.

Tanto imploro e argumento o homem, que finalmente Deus disse: Tudo bem, acreditarei nas tuas palavras e te salvarei Solta a rama.

Soltar a rama?, exclamou o homem. Tu achas que estou loco?"

Se a esperança for a matéria prima dos perdedores, qual seria a dos ganhadores? Eu acho que é a confiança.

A palavra esperança vem da palavra esperar. Esperar tem a ver com viver mudando o que me acontece. Na esperança sou eu quem domina a situação, não sou um espectador que fica assistindo o espetáculo. Na esperança, não posso fazer as coisas acontecer, do desejo elas.

Na confiança está o prefixo “com” eu sou parte de. Sou eu e a minha disponibilidade de escolher e de fazer. A palavra confiança tem a ver com a fé, em dar respostas nas distintas situações. Eu sou o protagonista.

Entremos no palco da vida e sejamos o protagonistas de nossas vidas. Aproveitemos a energia desta época do ano que se inicia, para sonhar e apostar a que cada um pode realizar o que deseja se podemos e tomamos o tempo para planificar e nos projetar.