Mulher procurou o Rabino

Certa vez uma mulher chorosa procurou o Rabino da pequena cidade de Koznitz.

Contou lhe que era casada havia muitos anos e que ainda não conseguia ter um filho.

O que você fara ao respeito – perguntou-lhe o rabino. A mulher não soube o que dizer e ficou em silencio.

Então o rabino lhe contou uma história: minha mãe estava envelhecendo e ainda não tinha filhos. Por acaso, ouviu dizer que o Baal Shem Tov, fundador do Movimento Chassídico, passaria pela aldeia no decorrer de uma viagem.

Ela foi vê-lo na pousada e lhe suplicou que rezasse para que ela pudesse ter um filho.

O que você está disposta a fazer a respeito? Perguntou-lhe o Baal Shem Tov.

Meu marido e um pobre sapateiro – respondeu a mulher. Mas possuo uma coisa de valor que queiro lhe dar.

Foi para casa tão rápido quanto lhe foi possível e pegou sua capa, que estava cuidadosamente guardada no baú.

Quando voltou a posada o Baal Shem Tov já havia partido.

Correu atrás dele e, como não tinha dinheiro para a viagem, caminhou de aldeia em aldeia com sua capa nas costas, até que chegou na aldeia de Mezbiz.

O Baal Shem Tov pegou a capa e a penduro na parede. Minha mãe voltou a pé, de aldeia em aldeia, até chegar a sua casa. Um ano depois, eu nasci.

Rabino, chorava a mulher, eu também lhe darei uma capa que tenho para poder ter um filho, mas a isso o rabino respondeu: Isso não vai funcionar! Você escutou a história de minha mãe, mas ela não tinha nenhuma história que a guiasse.