O caminho

Durante várias noites seguidas, o Rabino Itzchak Ben Moshe sonhou que teria que ir a Praga para desenterrar um tesouro, escondido debaixo da ponte que conduzia ao Palácio Real. Em princípio, ele não era dado a acreditar muito no que sonhava, mas como aquilo se repetia todas as noites, decidiu partir. Despediu-se de seu pai e rumou a Praga.

Quando chegou na cidade, descobriu que o lugar estava fortemente protegido, durante as 24 horas do dia. Ficou observando a ponte à distância. Assim, os dias foram passando, até um guarda se aproximar e lhe perguntar por que ficava no mesmo lugar, tanto tempo. O Rabino confessou ao guarda a sua intenção, e o capitão começou a rir, dizendo: “Como é possível que um Rabino, uma pessoa sábia, leve seus sonhos tão a serio?”.

O guarda seguiu questionando o Rabino: “Se eu fosse o senhor, neste momento eu estaria em Cracóvia buscando a casa de Isaac Ben Moshe; já que faz tempo que tenho um sonho recorrente de que em sua casa, debaixo da árvore de maçãs, há um tesouro enterrado. Imagine que estupidez; ir a buscar em Cracóvia um homem chamado Isaac Ben Moshe, sendo que metade da população masculina deve ter este nome na cidade”. Atônito, o Rabino retornou a sua casa, e com uma pá começou a tirar a terrá em volta da sua macieira. Logo, havia desenterrado um tesouro tão grande, que permitiu a si e à toda a sua comunidade, viver em cômoda situação econômica durante toda a sua vida.

Ao ler este conto, penso o quão difícil é escolher nosso caminho, ou falar sobre nossas escolhas.

Será que procuramos verdadeiramente? Será que dificultamos as respostas para o sentido da nossa existência, para a missão que temos neste mundo? Poderíamos abandonar o que chamamos de “realidade”, e nos encaminhar ao que chamamos “desconhecido”, na busca do que realmente queremos ser? Será que o caminho que transitamos é realmente o nosso?

Considero que uma pessoa percorre seu próprio caminho quando sua vida flui e quando se sente feliz. Está em contato com o que lhe apaixona, e considera que todas as forças universais estão a seu favor. Poucos nos separa do Iom Hadin.

Que possamos transitar pelo caminho daqueles que procuram abandonar a comodidade e apostam no que realmente desejam ser.

Precisamos nos desafiar; e acreditar que sim é possível.