Deus existe?

por Pedro Luiz Mangabeira Albernaz

Há alguns anos um escritor sueco, Stieg Larsson, escreveu uma série de três livros policiais intitulada “Millenium,” que fez enorme sucesso, tendo inclusive sido filmada.

Recentemente, um outro escritor sueco, David Lagercrantz, recebeu dos herdeiros de Larsson a incumbência de escrever o quarto volume da série, que recebeu o nome de “A Garota na Teia de Aranha.”

Um dos personagens destas aventuras é um inspetor da Polícia de Estocolmo, que é judeu. E há um momento do livro em que ele é acometido de uma grande dúvida: será que Deus existe? Ele compartilhou a sua dúvida apenas com a sua mais antiga assistente, a única a saber que ele abandonou momentaneamente a sua investigação para uma entrevista com o rabino da sua sinagoga.

No seu retorno ela lhe perguntou: “Como foi sua conversa com o rabino?”

E ele, agora muito mais tranquilo, respondeu:

“O rabino me disse que acreditar ou não em Deus não é importante; a mente de Deus não possui esse tipo de limitações. O que importa é compreendermos que a vida é algo muito sério e é muito rica. Precisamos apreciá-la. E também precisamos nos esforçar para tornar o mundo melhor. Qualquer pessoaque consiga obter um equilíbrio entre estas duas ações estará muito próxima de Deus.”