Guia de Iom Kipur

Que sejamos inscritos e rubricados no Livro da Vida!
Tzom Kal veGmar Chatimá Tová!

Horários e Informações das Tefilot

IOM KIPUR 5777

Kol Nidre:

3ª feira, 11 de outubro 17:45 hs.

Shajarit-Izcor-Musaf:

4ª  feira, 12 de outubro, 9h00 hs.

Minjá-Neilá:

4ª feira, 12 de outubro, 16:00 hs.

 

Asleiturasde Iom Kipur são:

Torá: Levítico 16:1-34, Bamidbar 29:7-11.

Haftará: Isaías 57:14-58:16

IOM KIPUR

Iom Kipur se celebra no décimo dia do mês de Tishrei, dez dias depois de Rosh Hashaná.

Estes dez dias intermediários são conhecidos como os Aseret Iemei Teshuva, os dez dias para refletir e empreender o caminho do retorno.

Iom Kipur nos propõe a reparação do que já temos para voltar a desfrutá-lo. Reparar o mundo (Tikun Olam), reparar amizades, reparar nosso próprio espírito. O jejum, a Tefilá, a reflexão e a meditação nos ajudam a nos tornar mais humildes, ter consciência de nossos atos e sermos responsáveis de nossas condutas.

Iom Kipur nos convida a realizar uma introspecção, a nos olhar a nos mesmos, a realizar um balanço de nosso ano: que erros cometemos contra outros homens e que erros cometemos em relação a Deus.

Devemos nos arrepender e pedir perdão. Todas as orações em Iom Kipur estão destinadas a obter o perdão Divino. Embora, diz a tradição que devemos estar reconciliados com nossos semelhantes antes de pedir o perdão de Deus.

A Véspera de Iom Kipur no lar:

1. Antes de ir a Sinagoga se janta em família. Trata-se de uma comida festiva, fácil de digerir. Acostuma-se iluminar bem o lar, a colocar a melhor louça e a estender nossas melhores toalhas como forma de honrar este dia sagrado.

2. Acendimento das velas:

Horário de acendimento de velas: 17:49

Recita-se a seguinte brachá:

Baruch atá Adonai, Elohenu melech haolam, asher kidshanu vemitzvotav vetzivanu lehadlik ner shel IOM HAKIPURIM.

3. A continuação se abençoa os filhos. O pai e a mãe colocam as mãos sob a cabeça dos filhos e pronunciam a seguinte benção:

A os filhos homens se lhes diz:

Iesimchá Elohim keEfraim vechiMenashé

Queira Deus te abençoar como a Efraím e a Menashé

As filhas mulheres se lhes diz:

Iesimchá Elohim keSará, Rivká, Rachel veLea

Queira Deus te abençoar como a Sara, Rivka, Rachel e  Lea

A os filhos conjuntamente se lhes diz:

Iebarechecha Adonai veishmerecha. Iaer Adonai panav elecha veichuneka. Isá Adonai panav elecha, veiasem lechá Shalom.

Adonai te abençoe e te guarde.

Adonai te ilumine com a Sua presença e te agracie.

Adonai se torne a ti e te conceda a paz.

4. Acostuma-se ir a Sinagoga com roupa simples, sem jóias, sem perfume, sem peles nem couro. Em algumas comunidades se acostuma usar roupa branca, símbolo de pureza, inocência, humildade e esperança (tal é o sentido também do Kitel que usam os rabinos).

5. En Iom Kipur jejuamos. É um jejum voluntário, como parte de nosso comprometimento com o Tikún Olam e de nossa tarefa de introspecção.

NA SINAGOGA:

Kol Nidre

8. As tefilot do Machzor são um caminho para a reflexão e uma forma de expressar nossos pensamentos e sentimentos.

9. Na noite de Kol Nidre colocamos o talit.

10. O sentido do Kol Nidre: é tornar nossas próprias vidas o suficientemente serias como para respeitar os compromissos com nos mesmos e com o próximo. Quando finaliza a cerimônia de arvit, nos cumprimentamos nos desejando: Gmar Chatimá Tová... Que sejamos inscritos e rubricados no Livro da Existência.

De mahna: Shacharit, Izcor e Mussaf 

  1. Reencontramos-nos pela manha na Congregação e continuamos com nosso Cheshbon Hanefesh - balance interior, na Tefilot de Shacharit e Mussaf.
  2.  A leitura da Torá nos recuerda la convocatoria de Moshé al pueblo para concertar un nuevo pacto. La Haftará del profeta Ishaiau (Isaías) nos chama para que nosso jejum seja significativao sincero e responsavel.
  3. A cerimônia de Izkor - Serviço de Recordação -  é o momento dedicado a memória, um tempo para que cada um se conecte com as almas de seus seres queridos falecidos, a um nível mais profundo. A tradição diz que durante a cerimônia de Izkor, as almas dos defuntos descem do céu e se unem com seus seres queridos.

A tarde: Minchá e Neilá

a. A última oportunidade: Minchá e Neilá – portas que se fecham e portas que abrem.
b. A leitura da Haftará, o livro de Ioná, nos chama a atenção sob os mandatos, as responsabilidades, o arrependimento e o perdão.

c. Neilá marca o final de Iom Kipur, é o momento do Juízo, a hora de enfrentar o futuro com esperança, com mais humildade e dispostos a mudar. Finalizam os Iamim Noraim com sua proposta de desafio: melhorar nosso mundo individual e o mundo no qual vivemos.

d. O serviço finaliza com a afirmação de nosso judaísmo: Recitamos o Shemá Israel uma vez; três vezes abençoamos o glorioso Reino de Deus, e 7 vezes afirmamos, com força, nossa fé em Deus. Apos escutamos o som do Shofar e cantamos a Havdalá.

 

e. Cumprimentamos-nos com um Shaná Tová Umetuká, nos desejamos reencontrar-nos o próximo ano em Ierushalaim, e nos dirigimos em família a nossos lares para compartilhar o jantar, rompendo com o jejum iniciado no dia anterior.